Após trocar mordidas com companheiro mulher queria fazer ocorrência na CPJ Bauru; ela ligou diversas vezes para o 190 mesmo sendo atendida pela PM

Escrito por em 20/07/2021

Uma mulher de 25 anos deu trabalho à Polícia Militar. Mesmo sendo atendida por policiais militares ela ligou diversas outras vezes para o 190, emergência da PM, porque queria outra viatura para ser levada à Central de Polícia Judiciária (CPJ) Bauru. Por volta das 1h30, os policiais foram acionados para atender ocorrência de agressão. O casal aparentava embriaguez. A mulher relatou aos policiais que ao tentar entrar no quarto para dormir a porta estava trancada e que após bater muito, o companheiro abriu e deixou ela entrar. A mulher contou que deitou ao lado do companheiro e o abraçou, mas ele se alterou, mordeu seu punho e a tirou da cama puxando seus cabelos.

Ouvido, o homem de 36 anos confirmou a mordida. Contou que, como não estava a fim de carinho e de conversar, tirou o braço da mulher que estava sobre ele e deu uma mordida, quando ela acionou a polícia. Os policiais fizeram contato com o plantonista investigador da CPJ (Central de Polícia Judiciária) Bauru e foram orientados a encaminhar as partes à Delegacia de Polícia de Lençóis Paulista durante a semana. Ao saber do procedimento, a mulher ficou indignada e ligou outras vezes para o 190. A mulher queria outra viatura para conduzi-la à CPJ Bauru. A mulher não tinha marca aparente de agressão e não quis ser atendida na UPA de Lençóis Paulista.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]