Seca provoca déficit de 1.700 mm acumulados no ano; índice pode voltar no período das chuvas

Escrito por em 14/09/2021

A seca registrada na maior parte do país causa um déficit 1.700 mm acumulados no ano na área da bacia do Rio Lençóis. Ou seja, desde o início do ano, deixou de chover 1 milhão e 700 mil metros cúbicos na área da bacia do Rio Lençóis, que é composta por 7 municípios. Os números foram revelados ao 90.1 Notícias durante entrevista de Sidney Aguiar, vice-presidente da Câmara Técnica do Comitê da Bacia do Rio Lençóis e coordenador regional adjunto, da Defesa Civil do Estado, de Bauru. A falta de precipitações, segundo ele, já afeta a indústria, o agronegócio e geração de energia.

Mas se por um lado a estiagem causa sérios problemas, como a qualidade do ar, por outro lado, a preocupação com a compensação desses volumes para o próximo verão, onde poderemos ter chuvas extremas no sudeste brasileiro. O que aumenta a preocupação com o período de chuvas que começa em outubro (há previsão de mais precipitações), mas se intensifica em dezembro e janeiro. Autoridades da Defesa Civil, Comitê da Bacia do Rio Lençóis e Serviço Autônomo de Água e Esgotos, estão em alerta monitorando a situação. “Estamos vivendo um período climático mundial totalmente invertido e extremo. Frio em excesso, calor em excesso, estiagem em excesso e possivelmente no pico do verão nós vamos ter quantidade exorbitante de água pra compensar o que está faltando”, concluiu.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *



[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]